Salto de Pirapora Notícias 2017

Salto de Pirapora Notícias 2017
Clique na imagem!

sexta-feira, 25 de setembro de 2015

Polícia Civil de Salto de Pirapora esclarece homicídio cruel; criminosos mataram um comparsa a marretadas e atearam fogo

Raimundo
Pedro de Alcântara da Silva, apelidado por "Natal ou Taverna" era um dos criminosos mais procurado pela Polícia de Salto de Pirapora, acusado de tráfico de droga e roubos. 


Num dia de eleição, um homem foi votar numa cidade do Rio Grande do Norte e ouviu informação que ele era procurado pela Justiça de São Paulo. Após ser detido, o homem confessou desconhecer porque era procurado. 

A polícia daquele estado solicitou foto do procurado em São paulo, e então ficou esclarecido que o procurado assumiu a identidade do irmão, Pedro de Alcântara. O indivíduo procurado era natural daquele estado e há vários anos estava desaparecido. Sua verdadeira identidade era Jonas Ezequiel Taverna da Silva. 

Esse indivíduo Jonas Ezequiel era procurado pela Polícia de Salto de Pirapora porque era acusado de cometer diversos roubos em Salto de Pirapora e segundo a polícia, o ladrão também agia nos municípios vizinhos: Piedade, Votorantim, Sarapuí e Pilar do Sul. 


Antes de saber que estava procurado, Jonas Ezequiel se escondia no Bairro Teixeira, periferia de Salto de Pirapora, mas sabendo que a polícia estava em seu encalço ele desapareceu.


Criminoso é morto

Diogenes
Em 13 de outubro de 2014, a polícia encontrou um corpo masculino carbonizado na estrada do Bairro Juncal, em Salto de Pirapora. Análise de perícia identificou que a vitima era Jonas Ezequiel Taverna da Silva, (o homem que assumiu a identidade do irmão Pedro Alcântara da Silva).

Crime esclarecido

O trabalho de investigação da Polícia Civil de Salto de Pirapora identificou os autores do bárbaro homicídio. Em julho de 2014, Jonas Ezequiel o "Natal ou Taverna" se ajustou com Raimundo Medina de Azevedo, 46 anos (idade atual) e com Diogenes Francisco da Silva, 36 anos (idade atual) e foram roubar uma residência no Bairro Jucurupava, em Salto de Pirapora. Raimundo ficou dentro do carro, Diogenes fazendo "cobertura" e o comparsa Jonas Ezequiel invadiu o interior da casa e efetuou o roubo.

Jonas Ezequiel, o "Natal ou Taverna"
Isto acendeu a íra dos dois que planejaram assassinar o comparsa Jonas Ezequiel. Eles convidaram o comparsa para beber numa casa do Bairro Santa Maria na mesma cidade, Jonas Ezequiel embriagou-se deitou, seus comparsas mataram-no com marretadas na cabeça depois fizeram uma cova, lançaram o corpo, jogaram 5 litros de gasolina e atearam fogo. Dias depois exalava odor insuportável, Raimundo e Diogenes retiraram os restos mortais e levaram para o local que o corpo foi encontrado na estrada do Bairro Juncal, em Salto de Pirapora.


Captura dos criminosos

A justiça mandou prender os dois temporariamente por 30 dias. Na quarta-feira (23/09), Forças de Segurança de Salto de Pirapora foram até a residência de Raimundo no Bairro Ana Guilherme e prenderam-no. No final da tarde de quinta-feira (24/09), os policiais civis Antonio, Caçador e Thiago se dirigiram a uma construção onde o pedreiro Diogenes estava trabalhando no Bairro Cocais, em Sarapuí e prenderam Diogenes. Ouvidos os dois na Delegacia, eles confessaram o crime. Eles estão recolhidos em unidades prisionais da região de Sorocaba.

Nenhum comentário:

Arquivo

Top 10 - Fatos e acontecimentos