terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Pais negam falta de cadeirinha para as crianças no acidente que matou a bebê Lorena

Lorena tinha nove meses / Foto: Reprodução. Blog Sérgio Santos.
André Kamonseki e sua esposa, Juliana Lucas Flora, contestaram a informação divulgada pela imprensa de que a criança Igor, de 03 anos, estava sem a cadeirinha e de que a cadeirinha da bebê Lorena, nove meses, que morreu no acidente, estaria afixada de forma irregular.

O acidente com a família foi provocado por uma motorista embriagada no início da madrugada de domingo (14) no km 126 da rodovia SP-264, entre Pilar do Sul e Salto de Pirapora (leia aqui).

Em reportagem publicada no site G1 e exibida na TV Tem o tenente da Polícia Rodoviária, Leandro Fonseca, disse que a bebê Lorena estava na cadeirinha tipo bebê-conforto, mas que a batida foi tão forte que ela não resistiu.

O tenente disse ainda que apenas o laudo da perícia técnica vai comprovar se a cadeirinha da bebê estava colocada de maneira correta no veículo.

Já com relação a criança Igor o tenente Leandro Fonseca afirmou que ele era transportado sem a cadeirinha, o que a família contesta.

A reportagem do Blog do Sérgio Santos e a repórter Elis, da TV Record, o pai das crianças, André Kamonseki, afirmou que foi até o local do acidente e constatou que as duas crianças estavam devidamente e corretamente acomodadas em suas cadeirinhas.

"Inclusive o Igor foi removido do local na cadeirinha, porque apresentava fratura do fêmur e os socorristas acharam melhor transportá-lo na cadeirinha para evitar que a lesão se agravasse. Já no hospital fui tirar meu filho da cadeirinha e o médico não permitiu”, disse André.

“Se ele estivesse sem cadeirinha não teria resistido. Se minha esposa, com cinto de segurança ficou bastante ferida e a Lorena que estava no bebê-conforto morreu, imagina se o Igor estive sem a cadeirinha?”, questiona o pai. “Sempre foi uma preocupação nossa, de transportar as crianças adequadamente nas cadeirinhas. Sempre”, finalizou.

Igor continua internado no Hospital Regional e seu estado de saúde é estável. Ele sofreu diversas lesões e fratura no fêmur, foi submetido a uma cirurgia e não corre risco de morte.

Bêbada, Maria de Lourdes Marinho, 53 anos, provocou o acidente.
Foto: Reprodução do Facebook. / Blog Sérgio Santos.
A causadora do acidente continua internada e também não corre risco de morrer. De acordo com o delegado Gilberto Montenegro, que preside o inquérito sobre o acidente, assim que deixar o hospital Maria de Lourdes de Souza Marinho, 53 anos, será encaminhada para o presídio feminino de Votorantim, uma vez que ela foi autuada em flagrante acusada de embriaguez ao volante, homicídio doloso e dupla tentativa de homicídio, com dolo eventual.



Nenhum comentário:

Arquivo

Top 10 - Fatos e acontecimentos