quinta-feira, 10 de novembro de 2016

Paralisação dos ônibus é mantida para esta sexta-feira na Região Metropolitana de Sorocaba

Em Salto de Pirapora e nas cidades que fazem parte da RMS - Região Metropolitana de Sorocaba haverá paralisação.
Ônibus da linha Salto de Pirapora á Sorocaba
Foto: Montagem Blog Adriano Vincler
O Sindicato dos Condutores de Sorocaba confirmou ontem, por meio de nota de sua assessoria de imprensa, que os motoristas do transporte coletivo dos setores urbano, intermunicipal, rodoviário e de fretamento irão paralisar suas atividades a partir da zero hora e até o meio-dia de amanhã, sexta-feira 11/11.

O ato em Sorocaba faz parte de uma mobilização nacional contra as PECs 241 e 55 (que tratam do ajuste fiscal) do governo Temer. Todas as empresas foram notificadas com 72 horas de antecedência, conforme dispõe a Lei de Greve e a entidade assegura que manterá 30% da frota de ônibus em circulação.

Também ontem, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros por Fretamento e Para Turismo de Sorocaba e Região (Setfret), se posicionou em relação ao manifesto. No comunicado encaminhado à imprensa, a entidade divulgou que orientou seus associados para que entrem em contato com os clientes e informem que estarão saindo das garagens normalmente para executar os serviços.

O protesto é voltado contra as PECs 241 e 55 e as centrais sindicais e os sindicatos afirmam que as medidas deverão afetar setores estratégicos como a saúde e a educação.

Veja abaixo a nota do Sindicato dos Condutores de Sorocaba e o banner da greve Nacional:

Trabalhadores em transportes participarão do
DIA NACIONAL EM GREVE nesta sexta-feira, 11

O Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região informa que os trabalhadores em transportes nos setores urbano, intermunicipal, rodoviário e de fretamento, dos 42 municípios que compõem a base de representação da entidade, irão participar do DIA NACIONAL DE GREVE em 11 de novembro, próxima sexta-feira, contra o PACOTE DE MALDADES do governo Temer, que ameaça retirar direitos trabalhistas e sociais. 

O protesto irá acontecer da zero hora ao meio-dia da sexta-feira, 11. O Sindicato notificou todas as empresas da base com 72 horas de antecedência e compromete-se a manter em operação 30% da frota do transporte essencial (urbano, intermunicipal e rodoviário), conforme determina a legislação vigente. O Sindicato informa também que o transporte especial, nos municípios que oferecem este serviço à população, irá funcionar 100%. 

Jornada de lutas 

O DIA NACIONAL DE GREVE faz parte da jornada de lutas contra retrocesso e perdas trabalhistas e sociais organizada pelas centrais sindicais brasileiras e irá acontecer em todo o Brasil nesta sexta-feira, 11. 

Em Assembleia Nacional dos Trabalhadores em Transportes ocorrida no dia 8 de novembro, na quadra dos Bancários, em São Paulo, que reuniu dirigentes de todas as centrais sindicais e de sindicatos de trabalhadores de todo o Brasil, o presidente do Sindicato dos Rodoviários de Sorocaba e Região e da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Transportes e Logística (CNTTL-CUT) Paulo João Estausia, Paulinho, afirmou que “se não reagirmos imediatamente, vai ser tarde demais. De agora em diante haverá paralisações nacionais sistemáticas”. 

Além deste dia 11, as centrais sindicais estão organizando outras manifestações para o dia 25 de novembro. “A unidade dos trabalhadores é fundamental nesta luta”, afirmou Paulinho. 

Pauta de luta 

Os trabalhadores em transportes nas regiões de Sorocaba, São Roque, Itapetininga e Itapeva e os trabalhadores em todo o Brasil irão protestar neste dia 11 de novembro – DIA NACIONAL DE GREVE contra: 

- a PEC 241/PEC 55 (Proposta de Emenda à Constituição), que irá congelar os investimentos públicos por 20 anos em áreas essenciais como saúde, educação e assistência social, o que deve engessar as políticas públicas e limitar o aumento de investimentos futuros; 

- redução de importantes programas para os trabalhadores e seus familiares como ProUni, Fies, Mais Médicos, Samu, Upas, farmácias populares e tantos outros direitos; 

- a terceirização sem limites, que acarretará grandes prejuízos aos trabalhadores como desemprego, redução de salário e de direitos, ampliação da jornada de trabalho e maior adoecimento. O projeto de lei (PLS 30) está tramitando no Senado, após ser aprovado na Câmara dos Deputados, onde tinha o número PL 4330. Além do tema estar sendo apreciado no Supremo Tribunal Federal (STF); 

- reforma da Previdência Social, que trará prejuízos aos trabalhadores na aposentaria por idade e também por tempo de serviço, pois eleva a idade mínima de aposentadoria de 60 anos para 65 anos para mulheres e homens, e ainda aumenta o tempo mínimo de contribuição de 15 anos para 25 anos, para que o trabalhador possa se aposentar por idade; 

- contra o Projeto de Lei nº 4193/2012, que é o maior ataque à CLT (Constituição das Leis Trabalhistas), pois permite que o acordado prevaleça sobre o legislado, ou seja, que os acordos entre empresários e trabalhadores possa ter menos direitos do que os determinados na CLT; 

- contra a Reforma do Ensino Médio, o fechamento de salas de aula e a retirar da obrigatoriedade do ensino de disciplinas como sociologia, filosofia, artes e educação física no ensino médio. 

Os trabalhadores exigem respeito aos direitos consolidados no Brasil e exigem que mudanças em áreas essenciais sejam amplamente discutidas com a sociedade.


Para ver em tamanho ampliado

Com informações do Sindicato dos Condutores de Sorocaba e Região


_________________________________________________________________________________

_________________________________________________________________________________








Nenhum comentário:

Arquivo

Top 10 - Fatos e acontecimentos