Salto de Pirapora Notícias

Salto de Pirapora Notícias
Fotos Salto de Pirapora - Clique na imagem!

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Programa contempla 58% da Região Metropolitana de Sorocaba


Foto: Brasil 247

As cidades que compõem a Região Metropolitana de Sorocaba (RMS) contam com o reforço de 101 médicos do programa federal Mais Médicos atuando em suas redes municipais de Saúde. Dentre os 26 municípios que fazem parte da RMS, 58% deles, ou seja, 14, foram contemplados com profissionais provenientes do programa. A maioria deles veio de Cuba para atuar nas cidades da região, já que dos 101, 88 são daquele país. Sorocaba é a cidade que possui o maior número de profissionais, com 39 no total. As Prefeituras dos municípios que participam do projeto federal avaliam como positiva a atuação desses médicos, dizendo, ainda, que a contratação deles ajudou a diminuir o tempo de espera das consultas.

Segundo levantamento do Ministério da Saúde, as cidades da Região Metropolitana de Sorocaba que contam com médicos em atividade pelo programa Mais Médicos são Araçoiaba da Serra, Capela do Alto, Cesário Lange, Ibiúna, Iperó, Pilar do Sul, Salto, Salto de Pirapora, São Miguel Arcanjo, São Roque, Sorocaba, Tapiraí, Tietê e Votorantim. Os que não participam são Alambari, Alumínio, Araçariguama, Boituva, Cerquilho, Itu, Jumirim, Mairinque, Piedade, Porto Feliz, Sarapuí e Tatuí.

A rede municipal de Saúde de Sorocaba foi a que teve a maior implementação com o programa Mais Médicos, já que possui 39 médicos atuando nas unidades de atendimento à população. Os profissionais que estão na cidade são um da Itália, um de Volta Redonda, no Rio de Janeiro, e 37 de Cuba. O primeiro deles, o italiano, chegou à cidade em fevereiro. Em março vieram mais três e os outros 35 começaram a atuar em abril deste ano. A Secretaria de Saúde (SES) avalia que a vinda desses médicos reduziu filas e agilizou o atendimento à população nos bairros mais carentes. Porém, a pasta espera que cheguem mais cinco médicos para atuar na Estratégia Saúde da Família (ESF) e seis médicos para o Programa Melhor em Casa. A SES não tem previsão para quando isso deverá ocorrer.

Depois de Sorocaba, Salto é a cidade que mais recebeu médicos do programa, com 12 no total. Desses, 8 são brasileiros (6 recém-formados e 2 formados no Exterior) e 4 são de Cuba. Eles atuam na Estratégia Saúde da Família (ESF), que está sendo implementada no município, e que terá 12 equipes. Até o momento, a Prefeitura avalia que o resultado está sendo positivo, pois "melhora a interface médico-usuário e mantém o médico na unidade" de saúde. Ibiúna também se destaca, com 11 médicos no total, todos vindos de Cuba.

"Atendimento mais humanizado"

Em São Miguel Arcanjo, 10 médicos foram destinados pelo programa federal. Eles chegaram no município em abril, porém naquele momento ainda não havia sido criada a ESF. Em agosto deste ano, com a criação das equipes de ESF, os médicos começaram a realizar atendimentos. Até o momento, a Prefeitura analisa que a aceitação aos profissionais vem sendo "muito boa, porque os médicos tem uma forma diferenciada de atendimento, mais humanizada."

Araçoiaba da Serra recebeu 6 profissionais do Mais Médicos, todos de Cuba, que iniciaram seus atendimentos no começo deste ano. A Prefeitura relata que a avaliação é "muito boa e positiva". Segundo a administração municipal, a maior dificuldade enfrentada na Saúde era manter o médico por 8h diárias nas unidades, fazendo com que o vínculo com os pacientes se perdesse. "Temos recebido vários elogios da população do atendimento destes médicos, principalmente pela atenção dispensada a eles", afirma.

São Roque, que possui 5 médicos - 2 de Cuba e 3 da Venezuela -, foi a primeira cidade da região a ser contemplada pelo programa. A médica cubana Moraima Ganga Donatieen chegou àquele município em dezembro do ano passado. Os demais chegaram em março deste ano. A Prefeitura relata que os médicos foram bem aceitos pela população e, administrativamente, também não há reclamações quanto a seus trabalhos.

Pilar do Sul também possui 5 médicos, todos de Cuba, e também foi uma das primeiras cidades da RMS a serem contempladas pelo programa federal. O primeiro profissional vindo de Cuba chegou ao município em dezembro e os outros em abril. Segundo a Prefeitura, todos foram bem aceitos pelos munícipes.

Iperó e Salto de Pirapora contam com 3 profissionais do Mais Médicos cada, sendo todos cubanos. Todos eles, em ambos os municípios, chegaram à região em abril deste ano, e foram bem avaliados pelas administrações municipais e também pelos usuários das unidades de Saúde. Com dois médicos cada do programa estão Tapiraí e Tietê. Em ambos os casos, os profissionais vieram de Cuba. Em Tapiraí, eles chegaram em dezembro de 2013 e em Tietê, a chegada ocorreu em maio de 2014. Por fim, Capela do Alto, Cesário Lange e Votorantim contam com apenas um profissional do Mais Médicos e todos são cubanos. Em todas essas cidades citadas, as avaliações são positivas.

Cidades gostariam de ter mais médicos

Dentre as cidades da Região Metropolitana de Sorocaba (RMS), quatro delas revelaram que gostariam de contar com ainda mais profissionais do programa Mais Médicos. São elas Sorocaba, Capela do Alto, Tietê e Votorantim. Apesar disso, o Ministério da Saúde descarta que isso deva ocorrer tão cedo. "No momento, não há previsão de trazer mais médicos, pois a demanda dos municípios que aderiram ao Programa foi suprida", informa o órgão federal, em nota de assessoria de imprensa.

Segundo levantamento do Ministério, em um ano de programa, 14,4 mil profissionais foram destinados para mais de 3,7 mil municípios e 34 distritos indígenas. O benefício disso, de acordo com o órgão federal, seria de que as localidades mais carentes do país que antes tinham dificuldade de atrair profissionais passaram a contar com a presença de pelo menos um médico do programa. "Juntamente com sua a equipe, esses profissionais estão atendendo a população onde elas vivem, estão ampliando e qualificando o acesso da população à atenção básica, ou seja, levando assistência e preenchendo vazios onde havia necessidade de médicos", afirma.

Os profissionais que participam do programa possuem ganhos mensais de R$ 10 mil, pagos pelo Governo Federal. Eles podem ainda ter outros benefícios, como em Sorocaba, em que a Prefeitura se dispõe a oferecer uma ajuda de custo de R$ 3 mil, sendo R$ 2,5 mil para o custeio de aluguel e os R$ 500 restantes destinados a alimentação.

Além da destinação de médicos às cidades, o programa possui outro eixo, focado na formação profissional de médicos. "Até 2017, serão criadas 11,5 mil novas vagas de graduação em Medicina e mais 12,4 mil de residência médica em campos e localidades prioritários. Com isso, o Governo Federal espera resolver definitivamente a questão da falta de médicos, consolidando assim um sistema de saúde público mais justo e universal."

Cidade Número de médicos

Sorocaba 39
Salto 12
Ibiúna 11
São Miguel Arcanjo 10
Araçoiaba da Serra 06
São Roque 05
Pilar do Sul 05
Iperó 03
Salto de Pirapora 03
Tapiraí 02
Tietê 02
Capela do Alto 01
Cesário Lange 01
Votorantim 01
TOTAL 101

Fontes: Ministério da Saúde e Prefeituras


População de Sorocaba aprova

Em Sorocaba, os usuários da rede municipal de Saúde veem com bons olhos a vinda dos médicos estrangeiros. Na Unidade Básica de Saúde (UBS) de Aparecidinha, por exemplo, que conta com quatro profissionais do Mais Médicos, os pacientes gostam da forma como são atendidos por eles. "Muito boa a médica que me atendeu, gostei muito dela", diz a aposentada Helena Ferreira da Silva. Ela afirma que teve um pouco de dificuldade para entender o que a cubana dizia, mas conseguiram se virar. "Eu pedia para ela repetir às vezes, aí dava tudo certo", complementa.

A dona de casa Fernanda Maria de Ávila Santos, 29, também foi atendida por uma médica do programa federal e gostou bastante. "Ela foi bem atenciosa", relata. Porém, o que mais gostou nessa história toda é que o número de médicos na UBS aumentou e, consequentemente, as filas diminuíram. Justamente sobre isso que a arrumadeira Letícia Bueno, 35, comentou, ao ser questionada pela reportagem sobre a vinda dos médicos estrangeiros. "Antes a gente tinha que esperar um mês para passar por consulta, agora em uma semana a gente consegue", revela. Letícia também falou sobre a atuação dos médicos. "A atenção aos pacientes é totalmente diferente quando somos atendidos por eles." (A. M.)

Notícia publicada na edição de 12/10/14 do Jornal Cruzeiro do Sul

Nenhum comentário:

Top 10 - Fatos e acontecimentos

Arquivo